• Raul Xavier

O tema é: Agrotóxicos

Atualizado: 17 de Dez de 2019



Você se sente seguro em comer algo em que alguém utiliza todos esses paramentos (roupas especiais, máscaras, luvas) para cultivar?


É muito provável que a resposta seja unânime.

Somente este ano foram liberados 239 novos tipos de agrotóxicos. A Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO)afirma que 70% dos alimentos in natura consumidos no país estão “contaminados” por agrotóxicos. A toxicidade dos agrotóxicos está relacionada ao seu potencial de letalidade. Os extremamente tóxicos podem matar um adulto ao ingerir uma pitada ou algumas gotas do produto.

Segundo a Organização para a Alimentação e a Agricultura (FAO-ONU) e a OMS, é urgente diminuir o uso de praguicidas e substituí-los pelo plantio direto nas lavouras, que reduz as pragas. O que devemos fazer então para diminuir o consumo de agrotóxicos? Listamos aqui algumas medidas importantes:


– Apoiar e divulgar campanhas relacionadas ao tema;

– Selecionar frutas, legumes e verduras da época na hora da compra. Além de possuírem menos resíduos de agrotóxicos, quando colhidos na época certa, eles são mais baratos, nutritivos e saborosos;

– Optar por investir em hortaliças e frutas orgânicas que são livres de agrotóxicos;

– Higienizar corretamente os alimentos pode ajudar a diminuir a concentração da parte externa dos mesmos.


Os alimentos que mais possuem agrotóxicos são: pimentão, abacaxi, pepino, mamão, entre outros. A ANVISA possui uma lista com o ranking. O importante é tentar comprar ao menos os da agricultura orgânica.


O tema é muito amplo, renderia muitas outras pautas, mas pra quem tiver interesse segue uma matéria recente sobre o assunto: https://marsemfim.com.br/agrotoxicos-a-populacao-precisa-saber/

Bruna Mambrini (@nutri.mambrini)

Nutricionista graduada pela UNESP – CRN: 52288

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

© 2021 por Pollo Corretora de Seguros. Criado por Mazzi Comunicação Integrada

  • Black Facebook Icon
  • Black LinkedIn Icon